A parceria entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e a Marinha do Brasil (MB) está proporcionando a ampliação dos limites das previsões numéricas em meteorologia e oceanografia.

Este é um resultado do protocolo de intenções firmado em agosto pelo Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), do Inpe, e a Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN/MB).

Por meio da cooperação técnica entre as instituições, o CPTEC/Inpe ampliou os limites da área abrangida pelo modelo numérico de previsão do tempo Weather Research and Forecasting (WRF). Com o intuito de englobar as regiões de responsabilidade do Brasil quanto à geração e à divulgação de produtos meteoceanográficos, conforme previsto na Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar (SOLAS), da qual o país é signatário.

Limites da região abrangida pelo modelo numérico de previsão do tempo Weather Research and Forecasting (WRF) do CPTEC/Inpe

Meteorologia e oceanografia: definindo limites

Essa alteração dos limites de abrangência permitirá, entre outras possibilidades, que as informações relativas à previsão de vento fornecidas pelo modelo processado no CPTEC/Inpe sirvam como insumos para o desenvolvimento de produtos de corrente oceanográfica e de ondas, gerados, respectivamente, pelos modelos HYbrid Coordinate Ocean Model (HYCOM) e Wave Watch 3 (WW3), processados no Centro de Hidrografia da Marinha (CHM).

Dessa forma, o Serviço Meteorológico Marinho (SMM) passará a contar com um produto oceanográfico apoiado por aquele centro de pesquisas e poderá realizar intercomparações entre os modelos, a fim de prover a melhoria de sua modelagem oceânica e de águas rasas.

A maior área de abrangência do modelo regional WRF do CPTEC/Inpe contribuirá, adicionalmente, para a manutenção da qualidade dos serviços prestados no âmbito do SMM, uma vez que possibilitará que a DHN possua um produto em forma de backup, gerado e armazenado em outra instituição, o que conferirá redundância e aumentará a confiabilidade do sistema, em prol da Segurança da Navegação e Salvaguarda da Vida Humana no Mar.

A sinergia decorrente da parceria entre o Inpe e a MB, além da economia de recursos do Orçamento da União, propiciará o intercâmbio de conhecimentos entre as instituições, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico-científico do país.

Aprendendo Geoprocessamento na prática

Quer aprender sobre tratamento da informação espacial, análise de dados espaciais e estatísticos de dados, ou conhecer mais sobre ferramentas para geoprocessamento? Convidamos você a conhecer os nossos cursos disponíveis da área de Sistemas de Informação Geográfica (SIG):

Este artigo pode te interessar: Por onde começar o Georreferenciamento?

 

Fonte: (INPE e Marinha aumentam limites na meteorologia e oceanografia).

Copyright © 2019 – Instituto GEOeduc. Todos os direitos reservados