CIG? Sim, você leu direito: chegou a vez da Ciência da Informação Geográfica

Muito mais do que somente uma tecnologia, a Geociência, ou Ciência da Informação Geográfica, merece ser tratada de forma mais abrangente, como a disciplina que ela sempre foi. Entenda…

Por Eduardo Freitas Oliveira*

Este artigo é o segundo de uma série que culminará em um eBook, na qual estamos fazendo uma reflexão sobre os termos que usamos para denominar nossa área de atuação profissional e o novo momento pelo qual nosso mercado está passando.

No primeiro artigo (leia AQUI) abordamos as diferentes denominações usadas para designar nosso setor: Geomática, Geoprocessamento, Tecnologias/Soluções Geoespaciais, Geoinformação, Georreferenciamento, GeoIncra, Geomensura, SIG, GIS e por aí vai…

O feedback foi muito positivo e também crítico, como o do Jorge Campelo (Aprogeo-PR): “está excepcional seu artigo, bem interessante, mas a ciência é a Geografia e seu nome é Geografia e o que fazemos é Geografia. Precisamos voltar a discutir, debater, estudar especialmente o que é Geografia e o que é ser Geógrafo”.

O instrutor do GEOeduc, Arthur Paiva, comentou a confusão entre geomática e geomensura, que para ele parecem sinônimos. “Geotecnologias eu enxergo como recurso (software ou hardware) de levantamento, armazenamento e gestão. Geoespacial é redundante. Se é Geo, é espaço. Manifestação em algum lugar”.

Da mesma forma, Dionatas Mendes ponderou sobre o artigo e sobre a necessidade de se definir um nome que trouxesse mais representatividade: “Em tempos de junção de cursos de graduação, dos especialistas em levantamentos e representações cartográficas, sempre apoiei um nome único que colocaria uma certa representatividade ao profissional”.

Outro termo citado nos comentários do artigo foi “Cientista de Dados Espaciais”, o que está bastante alinhado ao que o mercado demanda, por profissionais que sejam mais qualificados para saber o que fazer com a imensa quantidade de dados gerada continuamente do que especificamente para a coleta dos mesmos.

Enfim, no artigo anterior, paramos na parte na qual começamos a falar nesta sigla estranha para muitos, que é a CIG, Ciência da Informação Geográfica ou apenas Geociência. Neste artigo, vamos ver tudo o que engloba a CIG e espero que você chegue junto comigo à conclusão de que é muito mais do que tecnologia.

Ciência da Informação Geográfica e conteúdos

Os conteúdos que fazem parte da CIG são:

  • Coleta de dados – todas as formas, desde estações totais e receptores GNSS até satélites e drones, passando por smartphones, dispositivos de internet das coisas e os próprios usuários que também são “sensores ambulantes”
  • Plataformas de armazenamento e gestão de dados – e aqui falamos de tudo o que pode estocar algum tipo de dado ou informação, que pode ser de forma local, em servidores, na nuvem, “em nevoeiro” (quem trabalha com internet das coisas verá cada vez mais este termo) ou qualquer outro local
  • Modelagem de dados, algoritmos, processos – aqui entram os diferentes formatos de dados – vetoriais, raster, nuvens de pontos, tabelas, etc -, como eles são modelados, convertidos e utilizados
  • Visualização de dados – se há poucas décadas o mapa impresso era o padrão e mais recentemente a computação levou a cartografia para as telas, hoje a informação geográfica está na palma da mão, com os smartphones, mas também em nova plataformas como por exemplo óculos de realidade virtual e aumentada, impressoras 3D…
  • Ferramentas analíticas – há pouco tempo o poder de fazer uma sobreposição de camadas ou traçar a melhor rota entre vários pontos estava restrito a “semi-deuses” que habitavam as ilha de geo nas corporações, mas hoje qualquer criança tem o poder do GIS a dois cliques de distância
  • Aspectos institucionais – este é o item que deixa mais claro que CIG é muito mais do que Geotecnologia, pois as questões institucionais envolvem política, conflitos de interesses, diferenças culturais, disputas pela propriedade dos dados…
  • Compartilhamento de dados – e, finalmente, as formas de compartilhar informação mudaram muito e vão avançar ainda mais rapidamente no futuro próximo. Hoje, uma novidade corre o mundo em poucos segundos através das redes sociais, o que nos leva a quebras de paradigmas sobre quem é dono do dado, qual o alcance da informação, quais serão os impactos dela e quem será o usuário final

Finalmente, chegamos à pirâmide que mostra de forma clara as três dimensões da Ciência da Informação Geográfica, cada uma de igual importância: 

Note-se que, destas três “pontas”, somente uma está relacionada à tecnologia, que é a dimensão relacionada à computação (apesar de estar escrito computador, você pode substituir aqui por qualquer dispositivo com capacidade de coleta, armazenamento, análise e compartilhamento de informação geográfica).

Os outros dois pilares da CIG estão relacionados a pessoas e à sociedade em geral. Ou seja, espero ter deixado claro que termos como Geotecnologia, Geomática, Geoprocessamento ou Geomensura são válidos para algumas abordagens, mas o setor no qual atuamos é muito mais do que isso.

Aguarde a continuação desta série, pois iremos evoluir muito nessa discussão, com o lançamento de um eBook no qual vamos esmiuçar a CIG como a ciência que ela sempre mereceu ser tratada. Até lá…

Ciência da Informação Geográfica: requisitos e habilidades

O GEOeduc fez uma pesquisa sobre quais os requisitos e habilidades mais valorizados pelos recrutadores no setor de Geotecnologia. Veja quais itens são obrigatórios e quais evitar em seu currículo, confira quais são as habilidades indispensáveis para qualquer profissional de Geo e saiba quais são os diferenciais que vão fazer seu currículo de destacar entre os demais: Acessar pesquisa AQUI.

Empreendendo na área da Ciência da Informação Geográfica

Você sempre quis empreender nessa área, mas as incertezas do mercado te desanimam? Você tem dúvidas sobre como começar o seu negócio? Você, que tem vontade de avançar dentro da empresa em que trabalha, sabia que é possível ser um colaborador empreendedor? Esta é a sua chance de conhecer todo o seu potencial!

Instituto GEOeduc tem o prazer de anunciar que estão abertas as inscrições para o curso online de GeoEmpreendedorismo. Com carga horária de 30 horas, este treinamento é realizado de forma totalmente remota.

Eduardo Freitas, Idealizador do geoXchange, Co-Fundador do MDI, Consultor-Especialista no GEOeduc, Diretor de Operações do MundoGEO, Projetista na Engest Engenharia. Engenheiro Cartógrafo (UFPR), Técnico em Edificações (UTFPR), Especialização em Gestão Estratégica em EAD (Senac-SP), com mais de 20 anos de experiência em Obras Civis e Geotecnologia, atuando em empresas como Engebanc, Vertrag, Absoluta, Empresa Júnior de Cartografia da UFPR, entre outras. Coordenador do Instituto GEOeduc de 2014 a 2017. Diretor Financeiro da Associação Brasileira de Engenheiros Cartógrafos – Regional Paraná (ABEC-PR) 2013/2015, Membro da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) e do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), Tradutor de 2007 a 2013 do Informativo para América Latina e Caribe da Associação para a Infraestrutura Global de Dados Espaciais (GSDI), Tradutor desde 2012 do Informativo do Fórum Ibero-Americano do Consórcio Geoespacial Aberto (OGC), Tradutor desde 2014 do Informativo GeoSUR, Membro da Equipe de Tradução do software livre QGIS – 2015/2016, Membro da Comissão Avaliadora das Jornadas Internacionais do software livre gvSIG – 2013-2014. Atuou como Gerente de Social Media, Editor das Revistas/Portais MundoGEO & DroneShow e Coordenador da Programação dos Eventos Presenciais (Seminários, Hackatons, MundoGEO#Connect & DroneShow) e Online (Webinars, Workshops) da MundoGEO. Liderou a participação da MundoGEO em Projetos de Cooperação Internacional envolvendo instituições latino-americanas e europeias. Autor do blog GeoDrops. Artigos publicados nas revistas Scientific American Brasil, GIS Development, entre outras. Participação no documentário Todo Mapa tem um Discurso. Criador do primeiro grupo de Mastermind de Geotecnologia (Geomind). Criador da página I See Maps All The Time. Palestrante em Conferências Nacionais e Internacionais sobre Tendências em Geotecnologia & Drones, (Geo)Marketing Digital, GeoEmpreendedorismo, Qualificação/Atualização Profissional e temas afins.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *