Estação Total dicas

Estação Total: 10 recomendações simples ao utilizar esse equipamento

Para alcançar a excelência nos levantamentos topográficos é essencial que se utilizem equipamentos que deem suporte na coleta de ângulos e distâncias. Para isso, utiliza-se a Estação Total, a fim de recolher informações acerca da área levantada. Mas o que devo saber antes de utilizar esse equipamento? *Por Luís Antônio 

Uma Estação Total é um equipamento constituído por um teodolito com um distanciômetro e um coletor de dados acoplados, utilizado para medir e gravar ângulos e distâncias ao mesmo tempo.

A Estação Total é fundamental para quem deseja determinar as posições e as cotas ou somente as posições dos pontos. Sendo assim, as distâncias e os ângulos são calculados automaticamente e todas as medições e informações adicionais podem ser gravadas na memória interna ou através de um dispositivo externo.

Para uma medição acurada dos ângulos e distâncias com a estação, é preciso observar uma série de procedimentos no levantamento. Então, quais são os truques para utilizar uma Estação Total?

Dicas práticas para utilizar uma Estação Total

1. Faça um pré-projeto.

O pré-projeto é a primeira etapa de um levantamento e antecede a parte pratica do projeto. É considerada uma das mais importante do levantamento topográfico e busca realizar o reconhecimento da área, analisando o tipo de terreno, o relevo, declividade, tamanho da área, presença de corpos d’agua, edificações, reservas florestais ou outros elementos relevantes para o projeto.

Estas informações são essenciais para a escolha do tipo de técnica a ser utilizada (poligonal, seja fechada, enquadrada ou aberta, irradiação ou nivelamento, por exemplo) e a quantidade de vértices da poligonal ou quantidade de pontos de interesse que serão levantados. Além disso, é importante definir nesta etapa a finalidade do projeto para que se determine o tipo de levantamento necessário: planimétrico ou planialtimétrico.

topografia

2. Instale a Estação Total.

Já em campo, devemos, primeiramente, estacionar o equipamento em um ponto para dar início ao levantamento. Para isso, suba as pernas do tripé até o queixo, em seguida, aperte firmemente as travas ou os parafusos e abra as pernas do tripé igualmente. Instale o tripé no ponto de modo a deixar o prato do tripé o mais horizontal possível na horizontal e fixe firmemente, com o pé, as pernas do tripé, centralizando-o no ponto desejado.

Feito isso, coloque o instrumento sobre o tripé e fixe-o usando o parafuso de fixação central. É importante verificar pela luneta horizontal ou via fio laser se a estação total está centrada no ponto demarcado no solo. Caso não esteja, você movimenta horizontalmente o aparelho no prato ou pelas pernas do tripé.

3. Nivele o equipamento.

Instalada a Estação Total é necessário realizar o nivelamento, observando os níveis de bolha na base e abaixo da luneta. O nível esférico da base é ajustado pelas pernas do tripé e o nível cilíndrico abaixo da luneta ajusta-se pelos calantes deixando-os no centro. Para ajustar os calantes, ajustam-se primeiramente os dois opostos ao lado que você se encontra, girando os dois parafusos calantes em direções opostas. Para conferir, gira-se o aparelho 90º e ajusta-se o terceiro calante.

Os métodos de nivelamento dependerão do modelo da Estação Total, já que algumas dela são dotadas do nivelamento digital, onde verifica-se a situação do nivelamento pelo visor do equipamento.

4. Minimize os erros durante o levantamento.

Durante qualquer levantamento, é necessário entender que toda medida está afetada por algum tipo de erro e isso é inevitável. Logo, é importante saber como evitá-los ou minimizá-los.

Em campo, esses erros podem ser claramente percebidos em vários tipos de medidas. Algum número pode ser trocado no momento da leitura ou registro da observação (exemplo: anotar 1,96m ao invés de 1,69m).

Também é importante conferir se a Estação Total e seus acessórios (bastão e prisma) estão nivelados no momento da leitura. Por fim, expor seu equipamento à elevadas temperaturas ou mudanças bruscas de calor pode afetar na qualidade das medições.

Levantamento Topográfico de qualidade: 5 dicas essenciais.

5. Use bateria reserva.

Para a segurança do levantamento, aconselha-se que sejam levadas duas baterias carregadas para campo por precaução. As Estações Totais mais modernas são totalmente digitais, necessitando do uso da bateria para desempenhar qualquer função. Logo, é importante garantir que não haverá problemas pela falta de bateria e evitar a perda de do seu projeto.

6. Oriente seu projeto.

Antes de iniciar o processo de medição de ângulos e distâncias, é importante orientar seu levantamento. Isso pode ser feito definindo à direção do “zero”, ou seja, a origem de leitura dos ângulos horizontais. Esse processo pode ser feito de diversas maneiras, como, por exemplo, orientado pelo Norte verdadeiro, pelo Norte magnético ou por uma direção arbitrária conhecida (por exemplo, um referencial fixo), por ré (direção do ponto anterior) ou por vante (ponto posterior).

7. Realize medidas angulares e lineares.

Em um levantamento é essencial a coleta de informações lineares e angulares. Logo, feito todo procedimento anterior, devem-se coletar os ângulos e distâncias. Hoje, essas operações já são automatizadas, e basta apenas um clique para obter o valor da distância entre sua estação e o prisma, ou ainda, o ângulo entre dois alinhamentos. Além disso, alguns modelos de estação total contam com um raio laser visível que mede distâncias sem a presença de um prisma, facilitando por exemplo, a medição de pontos inacessíveis.

8. Armazene as informações.

Realizado o levantamento é extremamente necessário se atentar ao registro dos dados. As estações totais mais robustas contam com o arquivamento dos dados em memória interna, simulando uma caderneta de campo digital. Isso facilita o processo, evita erros do operador e agiliza o levantamento. Além disso, é importante que você sempre nomeie seu ponto de forma, que você saiba identificá-lo na fase de processamento e, se possível, acrescente ainda uma descrição.

9. Descarregue e processe seus dados.

Feito todo levantamento, é essencial que esses dados sejam descarregados e processados. Cada modelo de estação total possui uma forma diferente e um software específico para realizar tais funções. Portanto, procure saber mais sobre como transferir dados do modelo que você utiliza e sobre como processar seus dados. Faça uma análise criteriosa para conferir os dados levantados e, assim, verificar se a qualidade do levantamento atende às exigências.

10. Guarde seu equipamento de forma correta.

Parece uma dica simples, porém os cuidados que você tem com seu equipamento podem influenciar na qualidade dos seus dados. Manter o equipamento dentro da sua caixa enquanto ele não está sendo usado evita uma série de desgastes que ajudarão a manter sua Estação Total calibrada e em bom estado por mais tempo. Guardar o equipamento de forma correta dentro da caixa garante que este não sofra queda, que sofra menos influência das condições climáticas, evita que as lentes sejam arranhadas e, ainda, tenha menos contato com resíduos de uma obra, por exemplo.

Saiba mais sobre o futuro da Topografia, as tecnologias e o destino do profissional do setor.

Uso da Estação Total na Topografia

Pronto! Agora que você conhece as principais dicas para uso e conservação da Estação Total, você já pode ir além. Que tal se capacitar ainda mais e começar a fazer serviços complexos de topografia?

Então venha fazer o curso de Topografia Básica do Instituto GEOeduc, que, de forma simples e didática, apresenta os principais conceitos, técnicas e aplicações da Topografia em diversas áreas do conhecimento, com um capítulo especial voltado para a apresentação das novidades do setor, como o laser scanner, os drones e os vants, bem como os principais conceitos de Topografia de Minas e Industrial.

Luís Antônio Soares e Sousa – Engenheiro Cartógrafo e Agrimensor. Mestrando no programa de Ciências Geodésicas da Universidade Federal do Paraná, graduado em Engenharia Cartográfica e de Agrimensura na Universidade Federal de Uberlândia e ex-bolsista nos programas Jovens Talentos para Ciências CAPES/CNPq, PIVIC e PIBIC/CNPq. Além disso, atuou como membro na EJEAC Consultoria, no qual desempenhou a função de Diretor Administrativo-Financeiro e Diretor Presidente. Participou do programa de mobilidade acadêmica Internacional BRAFITEC no período de 2015-2016 no Institut National des Sciences Apliquées em Strasbourg, França.


2 comentários sobre “Estação Total: 10 recomendações simples ao utilizar esse equipamento

  1. bom.
    Efetuei um Levantamento em uma Estação Total Geodetic GD2i descarreguei no CPEtransfer e importei para o topograf não estou conseguido gerar poligonal, desenho esta dando erro, o que pode ter acontecido?

Deixe uma resposta para BLOG Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *