Estudos de rompimento de barragens: suas implicações no gerenciamento de emergências

Desde o rompimento da Barragem do Fundão, localizada nas proximidades do município de Mariana/MG, devastando o distrito de Bento Rodrigues, que os olhos dos brasileiros têm se voltado para a questão da segurança de barragens.

Por Rafael Colucci

Casos como este são mais comuns do que podemos imaginar. No domingo do dia 11/02, enquanto as pessoas se divertiam com o carnaval, moradores do município Senador Guiomard passaram por verdadeiros apuros após o rompimento de um barramento devido ao transbordamento de um igarapé.

Felizmente, devido ao tamanho reduzido do reservatório não houve vítimas fatais, mas houve grandes prejuízos patrimoniais.

Mais informações sobre este rompimento podem ser obtidas neste link.

Poucos dias antes, entre os dias 4 e 5 de fevereiro, cinco barragens em São José do Rio Claro, a 325 km de Cuiabá, se romperam, após o grande volume de chuva na região. (Leia mais sobre aqui).

Nesses casos, um estudo de rompimento de barragens pode minimizar drasticamente os danos causados à vida e a propriedades se for feito corretamente.

Mas você sabe o que é um Estudo de Rompimento de Barragens?

Um estudo de rompimento de barragens é realizado com o objetivo de entender o deslocamento da onda de inundação proveniente de uma ruptura. Observem que os motivos que levaram ao rompimento não interessam para este estudo.

A partir do conhecimento do deslocamento da onda de inundação é possível saber quando a água atingirá determinados locais e assim tomar as devidas providências para evitar maiores danos.

Trata-se, portanto, de ferramenta valiosa e importantíssima para a gestão de riscos pública ou privada.

Para realização desse tipo de estudo, se faz necessário conhecer as informações do barramento, do reservatório, do curso d’água à jusante do rompimento e da planície de inundação.

Uma vez tendo estas informações é possível analisar a ruptura utilizando algum software específico para este fim. O HEC-RAS é um deles.

O HEC-RAS é desenvolvido pelo Corpo de Engenheiros do Exército Norte-americano, e hoje conta inclusive com uma versão de análise bidimensional e um módulo GIS para elaboração dos mapas de inundação chamado RAS Mapper.

Apesar de ser um software gratuito, o HEC-RAS utiliza um modelo matemático com pouca simplificação nas equações de Saint Venant; o que garante a precisão do resultado.

Abaixo é possível visualizar algumas imagens do HEC-RAS.

Em nosso curso de Estudos de Rompimento de Barragens no HEC-RAS, ensinamos a realizar um estudo com alto nível de complexidade. A partir da união do HEC-RAS e do AutoCAD Civil 3D, o aluno será capaz de inserir as informações necessárias para a simulação, simular o rompimento e preparar o mapa de inundação.

 

Rafael Colucci – Mestre em Engenharia da Energia (Universidade Federal de Itajubá), especialista em desenvolvimento de Estudos de Rompimento de Barragens, Planos de Ações Emergenciais, e simulações de escoamento envolvendo o HEC-RAS. Atualmente é professor no Curso de Engenharia Civil do Centro Universitário de Itajubá (FEPI) e desenvolve cursos de softwares CAD de forma presencial há 14 anos e online há 4 anos. Participou no desenvolvimento de Estudos de Impactos Ambientais, projetos de monitoramento de enchentes e como consultor, auxiliando a implementar o AutoCAD Civil 3D em empresas que ainda não utilizavam este software.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *