Geomarketing: 4 principais técnicas para obtenção de informação geográfica

O Geomarketing é uma robusta ferramenta de marketing para determinar estratégias tanto estruturais e organizacionais quanto de vendas, mas para isso é necessário se utilizar da espacialização dos dados para análise e, assim, poder realizar uma tomada de decisão. Mas quais as principais ferramentas de análises?

Quando se trabalha com Geomarketing, utiliza-se uma base de dados para se produzir alguma informação, onde tais dados podem ser do tipo vetorial ou raster.

Os dados tipo vetorial são os dados mais utilizados em análises de Geomarketing e são dotados de uma tabela de atributos onde se pode armazenar características (atributos) sobre eles.

Quando utilizamos algum tipo de ferramenta para manipular estes dados, como por exemplo, classificá-lo de acordo com faixas de rendimento, estamos produzindo informação.

O processo de obtenção destas informações espaciais em um ambiente SIG pode ser algo simples como uma consulta a um atributo ou mesmo uma seleção.

Pode ser mais elaborado quando geramos um mapa temático, utilizamos resumos ou ainda executamos ferramentas de análises espaciais. E por fim, podemos criar modelos de fluxos de análises mais sofisticados, envolvendo várias ferramentas e técnicas.

4 principais técnicas para obtenção de informação geográfica

A utilização de todas estas técnicas pressupõe não apenas conhecimento da plataforma que se opera, mas também passa por conceitos de análise espacial. Dentre as quatro principais técnicas de obtenção de informação geográfica, partindo de exemplos em aplicações de Geomarketing, podemos citar:

1. VISUALIZAÇÃO: se trata de uma das etapas mais simples para geração de análise. Quando obtemos os dados geográficos e os visualizamos em um mapa nossa mente já consegue entender padrões nestes dados.

2. SELEÇÃO: a seleção se trata de um método de destacar e trabalhar apenas com os dados de interesse. Esta análise pode ser baseada em atributos ou na localização, ou seja, você pode selecionar, por exemplo, apenas as pessoas que estão em certa faoxa etária ou localizadas em uma certa região.

3. MAPAS TEMÁTICOS: forma de entendermos os valores atribuídos às feições geográficas. As camadas podem ser tematizadas utilizando os dados quantitativos, quando se trabalha com classes geradas pelo agrupamento de dados de acordo com as quantidades existentes na sua tabela de atributos; ou qualitativos, onde se diferenciam fenômenos de acordo com categorias/tipos existentes.

4. OUTRAS FERRAMENTAS DE ANÁLISE: existem outras ferramentas de análises que são amplamente utilizadas para gerar informações. Dentre elas podemos citar o buffer, os polígonos de Thiessen (ou Voronoi), Área de Serviço e Ferramentas de análise com lógica booleana (União e Intersecção), Densidade, Interpolação e Álgebra de Mapas.

Aplicando análises no Geomarketing

As plataformas de Sistema de Informações Geográficas (SIG) possuem um número enorme de ferramentas para modelagem e Análise Espacial. Estas análises, por mais simples que sejam, facilitam no momento de tomada de decisão mediante a espacialização de um certo fenômeno. Quer saber mais sobre isso?

O Instituto GEOeduc possui uma sequência de cursos que oferecem um panorama geral sobre os principais conceitos da análise espacial de dados e a aplicação em diferentes nichos de mercado, dando subsídios para a localização e o uso de informações geográficas necessárias para a tomada de decisão e geração de oportunidade de negócios. Além é claro de aulas práticas para que você aprenda de fato, como utilizar essa ferramenta. Conheça os cursos “Geomarketing: SIG e os negócios” e “Geomarketing: Estratégia para negócios” e dê um passo na sua carreira!

Luís Antônio Soares e Sousa – Engenheiro Cartógrafo e Agrimensor. Mestrando no programa de Ciências Geodésicas da Universidade Federal do Paraná, graduado em Engenharia Cartográfica e de Agrimensura na Universidade Federal de Uberlândia e ex-bolsista nos programas Jovens Talentos para Ciências CAPES/CNPq, PIVIC e PIBIC/CNPq. Além disso, atuou como membro na EJEAC Consultoria, no qual desempenhou a função de Diretor Administrativo-Financeiro e Diretor Presidente. Participou do programa de mobilidade acadêmica Internacional BRAFITEC no período de 2015-2016 no Institut National des Sciences Apliquées em Strasbourg, França.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *