Geomarketing Político e a Geografia do Voto

Entenda neste artigo como o Geomarketing Político e a Geografia do Voto são extremamente importantes para o direcionamento de campanha política

Por Arthur Paiva

O processo eleitoral é um momento de extrema importância no exercício da democracia. Diante de uma situação competitiva e de rivalidade, na escolha das opções a serem votadas, torna-se imperativo encarar uma eleição da mesma forma que as empresas enxergam o mercado.

Além de encurtar a distância entre o candidato e o eleitor, o geomarketing político permite a percepção sistêmica e estatística de onde se localiza o eleitor que vota em determinado candidato.

O Geomarketing Político consiste na aplicação de ferramentas de processamento geográfico de dados (SIG) no direcionamento de campanha política. Isso garante clareza territorial na distribuição dos eleitores entrevistados, identificação de problemas locais, efetuar análises comparativas populacionais e de eleitorado, quantificação de demandas sociais dentre outros anseios eleitorais.

Assim, de forma geral, o gestor de campanha terá uma visão holística do eleitorado, relacionando diversos dados com as opiniões dos eleitores, arquitetando a geografia do voto.

A geografia do voto se define na verificação padrões na distribuição dos votos em uma eleição, de modo a descobrir se existe alguma associação entre a votação que determinado candidato [1]. O objetivo é solidificar uma base regional que irá assegurar sustentação eleitoral antes, durante e depois do mandato.

Em vista disso, é fundamental implementar estratégias de comunicação e atuação política do ponto de vista geográfico. Para desenhar a geografia do voto, é preciso compatibilizar demandas locais com posicionamentos políticos de determinados candidatos. O relevante político norte-americano Tip O’Neill disse: “Toda política é local”. Isso sempre elege políticos: Buscar, angariar e manter o poder por meio de medidas locais.

Caso queira saber mais sobre a relevância dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG), recomendamos a leitura desse interessante artigo sobre Por que utilizar a Análise Geográfica para tomada de decisão.

SIG na Prática

O Instituto GEOeduc, em sua plataforma de cursos, acaba de lançar o curso de Sistemas de Informação Geográfica com QGIS 3.0, que aborda os novos recursos da plataforma, além de aplicá-los em exemplos práticos. Os conceitos de cartografia e banco de dados também são tratados no decorrer do curso para orientar o usuário no correto manejo da solução.

Acesse agora mesmo o link do curso online e tenha acesso ao descritivo completo da grade curricular. Aproveite também para assistir uma aula demonstrativa, que lhe permitirá conhecer melhor nosso ambiente de aprendizagem!

Se você é um profissional de carreira e já está estabelecido no mercado, é sempre bom renovar os conhecimentos e se reciclar a respeito das atualizações das ferramentas. Para você que está entrando na área de SIG agora, nós te instrumentalizaremos para dar os primeiros passos.

Arthur Paiva – Engenheiro cartógrafo formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atualmente consultor e instrutor do instituto GEOeduc, possui 5 anos de experiência em softwares GIS e de Processamento Digital de Imagens. Apresenta conhecimentos em assuntos como, geoestatística, geomarketing, análise ambiental, gestão de banco de dados dentre outros temas. Atuou como suporte técnico e na confecção de materiais de cursos de extensão em geotecnologias pelo Laboratório de Geoprocessamento da UERJ (LABGIS UERJ). Possui experiência na área de agrimensura, como no mapeamento de estradas e túneis a partir de levantamentos geodésicos (Diferencial, estático e RTK) e a partir de levantamentos com equipamentos topográficos, como estação total, Laser Scanner fixo e o Laser Scanner Móvel (acoplado em automóvel).

_____________________________________________________________________________________

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *