leilão mineração

Leilão na área de mineração acontecerá em outubro, informa Ministro

Fui publicado hoje (12), o primeiro edital do leilão na área minerária. O leilão está marcado para o dia 21 de outubro e segundo o Ministro, o investimento será de 255 milhões de reais em 10 anos.

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciou ontem (11), na abertura do evento “Diálogos com o Setor Mineral”, da Agência Nacional de Mineração (ANM), a publicação do edital do primeiro leilão na área de mineração do Serviço Geológico do Brasil no país.

Saiba como funcionará o leilão

No leilão, será ofertado uma área de exploração em Palmeirópolis, Tocantins. Essa região tem grande potencial para serem realizadas pesquisas de minérios como cobre, chumbo e zinco.

A ideia do leilão é servir como uma espécie de teste-piloto para outras ofertas que estão sendo planejadas. Ou seja, essa ação será a primeira oferta de áreas para desenvolvimento de pesquisa mineral do Governo, de uma série de outros leilões que serão realizados pela Agência Nacional de Mineração (ANM) e pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

A oferta

O Complexo Polimetálico de Palmeirópolis é a primeira área de mineração do SGB/CPRM a ser leiloada no país e, como projeto piloto, é tratado como prioridade nacional.

Estimam-se, com este leilão, que sejam realizados investimentos em pesquisa e em CAPEX (CAPital EXpenditure, expressão inglesa que significa “despesas de capital” ou “investimento em bens de capital”) de aproximadamente R$ 255 milhões, nos próximos 10 anos, e R$15 milhões em bônus de assinatura.

Confira o edital

As regras de como funcionará o leilão estão disponíveis no edital que foi publicado hoje.

Aos interessados, o edital está disponível para download neste site: Edital nº 001/2019-CPRM

Tem interesse na área de mineração? Quer saber como os Drones podem auxiliar nesse setor? Então confira essa palestra imperdível que o GEOeduc está promovendo:

PALESTRA GRATUITA Drones: como usá-los no setor mineral

palestra

 

 

Tópicos a serem abordados nesta palestra:
– Possibilidades de aplicação do Drone na área ambiental;
– Integração das Geotecnologias para conservação de espécies ameaçadas (monitoramento satelital, SIG e levantamento aéreo com Drone);
– Mapeamento de recursos naturais marinhos utilizando Drone;
– Limitações e potencialidades do uso da ferramenta na zona costeira;
– Resultados alcançados com projeto piloto e contribuições para o gerenciamento costeiro.

Sugestão de leitura – Drones para mineração: por que essa é uma tendência?

Nos acompanhe nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *