Perfil do profissional de campo do século XXI

A coleta de dados em campo sofreu grandes mudanças nos últimos anos e se transformará ainda mais em um futuro próximo. Diante disso, qual o perfil do profissional de campo do século XXI?

Por Eduardo Freitas

Novas tecnologias para o profissional de campo não se restringem mais a apenas uma estação total e um GPS. Apresentamos aqui um panorama sobre as novas tecnologias, aplicações e as oportunidades que acompanham o desenvolvimento galopante desse mercado.

RTK: Esta sigla já não é mais uma novidade mundialmente, mas ainda é pouco conhecida no Brasil. RTK significa Real Time Kinemathic, e alia tecnologia GPS a um rádio-modem ou a um telefone GSM para obter correções em tempo real. Hoje, a correção por satélite como a RTX, sigla em inglês para Real-Time Extended, que combina dados em tempo real com algoritmos de posicionamento e compressão. Esta nova tecnologia utiliza dados gerados em tempo real a partir de uma infraestrutura global de estações de referência, para calcular posições ao nível de centímetros, baseadas em informações de órbita e relógio de satélites.

GNSS: Até algum tempo atrás o GPS reinava absoluto no espaço. Porém, atualmente existem aparelhos que rastreiam o Glonass e estão prontos para receber os sinais do Galileo. A China já lançou o Compass e também há os sistemas que corrigem o sinal GPS, como o Egnos, o Waas, o MSAS e o Gagan. A sigla que engloba todos estes sistemas é a GNSS, que significa Sistemas Globais de Navegação por Satélites. Qualquer profissional que utilize posicionamento satelital deve estar familiarizado com essas tecnologias e com os sinais que serão enviados por cada um dos sistemas.

Imagens de alta resolução e dados gratuitos: A resolução espacial das imagens de sensores orbitais está aproximando-se da resolução de imagens de aerofotogrametria, sendo utilizadas para fins cadastrais, e podem ser aliadas ao trabalho de campo em áreas onde não há dados suficientes. Imagens de média e baixa resolução espacial podem ser obtidas gratuitamente na internet, como as cenas dos satélites LandSat, Modis e Cbers, que estão a dois cliques de distância e podem auxiliar em planejamento de missões de campo e mapeamentos de áreas em que a precisão não seja tão importante.

Laser scanner, radar e aerofotogrametria digital: O mapeamento utilizando laser scanner fornece superabundância de dados, com informações tridimensionais diretas de uma área, que podem ser integradas com os dados de campo. Os levantamentos com radar e aerofotogrametria apresentam grande precisão aliada a grandes áreas, e já existem pesquisas em andamento para uso de veículos não tripulados para mapeamento.

GIS e CAD: Cada vez mais o GIS é utilizado diretamente em campo, através de PDAs integrados com GPS, aplicações voltadas para a internet e acesso a dados remotos através de servidores de dados geográficos. Se há alguns anos nenhum profissional de campo precisava saber desenhar no computador, hoje os programas CAD estão cada vez mais intuitivos e até mesmo projetos 3D são facilmente elaborados.

Wireless: A tecnologia já é usada em várias áreas, inclusive na topografia, para conectar dispositivos de um mesmo equipamento ou para que diferentes periféricos trabalhem em conjunto. Além disso, o uso de laptops, cartões de memória e pendrives em campo torna-se cada vez mais difundido.

Drones: O requisito básico para uma boa Cartografia é contar com informações de qualidade, e os Drones vieram para trazer agilidade, alta precisão e abundância de dados. O que há pouco tempo poderia parecer improvável já é totalmente viável e indicado para complementar ou até mesmo substituir tecnologias e métodos tradicionais.

Atualização é a Chave!

Hoje, há uma migração de profissionais de outras áreas pela atualização profissional para o profissional de campo do século XXI demanda crescente por mão-de-obra qualificada, o que torna o mercado cada vez mais competitivo. É preciso fazer trabalhos cada vez mais complexos em prazos mais curtos. Além disso, o profissional do século XXI deve ter bom domínio de informática e inglês, além de estudar muito.

Ou seja, a única saída é a atualização através da educação continuada, buscando informações nas mais diversas fontes, como cursos, congressos, livros especializados, revistas segmentadas, portais, listas de discussão, grupos e fóruns de debates online, blogs, etc..

Workshop Online GeoEmpreendedorismo & Novas Tecnologias

Novas tecnologias e formas de trabalho já estão substituindo empregos em diversas profissões. Pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, analisaram recentemente 702 ocupações e estimaram suas chances de automatização. As profissões ligadas à produção de dados geoespaciais chegam perto de 90% de chance de substituição por robôs nos próximos 20 anos.

Por outro lado, a profissão de cientista de dados é considerada a mais sexy deste século pela Harvard Business Review. Ou seja, já que os dados estão virando commodities, agora o desafio é saber o que fazer com esta imensa quantidade de informação que é continuamente gerada.

Em um mercado que avança tão rápido, você se sente confortável com as mudanças que estão ocorrendo, tanto em relação à tecnologia quanto ao mercado de trabalho? Tem noção de que, nos próximos anos, estas mudanças vão avançar ainda mais rápido?

Recentemente, o Instituto GEOeduc realizou uma pesquisa com a comunidade de Geotecnologia e Drones sobre quais as principais barreiras ao empreender na área.

Segundo a pesquisa, mais de 40% das pessoas estão frustradas ou indiferentes em relação às suas carreiras. Do total, 28% já são empresários, enquanto 51% têm interesse em empreender. Quanto aos principais desafios ao empreender, os mais citados foram a falta de capital e de tempo, a crise econômica, a forte concorrência e a dificuldade de criar uma rede de contatos e firmar parcerias.

Inscreva-se agora mesmo e reserve sua vaga para participar no Workshop GeoEmpreendedorismo & Novas Tecnologias, com início no dia 4 de dezembro, no qual você terá acesso a uma série de vídeos, conteúdos para baixar e webinars ao vivo.

Adaptado e atualizado a partir do artigo publicado na revista InfoGNSS, edição 16.

Eduardo Freitas, Idealizador do geoXchange, Co-Fundador do MDI, Consultor-Especialista no GEOeduc, Diretor de Operações do MundoGEO, Projetista na Engest Engenharia. Engenheiro Cartógrafo (UFPR), Técnico em Edificações (UTFPR), Especialização em Gestão Estratégica em EAD (Senac-SP), com mais de 20 anos de experiência em Obras Civis e Geotecnologia, atuando em empresas como Engebanc, Vertrag, Absoluta, Empresa Júnior de Cartografia da UFPR, entre outras. Coordenador do Instituto GEOeduc de 2014 a 2017. Diretor Financeiro da Associação Brasileira de Engenheiros Cartógrafos – Regional Paraná (ABEC-PR) 2013/2015, Membro da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) e do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), Tradutor de 2007 a 2013 do Informativo para América Latina e Caribe da Associação para a Infraestrutura Global de Dados Espaciais (GSDI), Tradutor desde 2012 do Informativo do Fórum Ibero-Americano do Consórcio Geoespacial Aberto (OGC), Tradutor desde 2014 do Informativo GeoSUR, Membro da Equipe de Tradução do software livre QGIS – 2015/2016, Membro da Comissão Avaliadora das Jornadas Internacionais do software livre gvSIG – 2013-2014. Atuou como Gerente de Social Media, Editor das Revistas/Portais MundoGEO & DroneShow e Coordenador da Programação dos Eventos Presenciais (Seminários, Hackatons, MundoGEO#Connect & DroneShow) e Online (Webinars, Workshops) da MundoGEO. Liderou a participação da MundoGEO em Projetos de Cooperação Internacional envolvendo instituições latino-americanas e europeias. Autor do blog GeoDrops. Artigos publicados nas revistas Scientific American Brasil, GIS Development, entre outras. Participação no documentário Todo Mapa tem um Discurso. Criador do primeiro grupo de Mastermind de Geotecnologia (Geomind). Criador da página I See Maps All The Time. Palestrante em Conferências Nacionais e Internacionais sobre Tendências em Geotecnologia & Drones, (Geo)Marketing Digital, GeoEmpreendedorismo, Qualificação/Atualização Profissional e temas afins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *